Apelidos e Bulling

Em meados da década de 70, na escola, tínhamos um amigo chamado Francisco. Como ele era portador de polidactilia, aquele dedinho extra colado ao mindinho, logo recebeu o apelido de Chico 6 dedos.

Não sabíamos que isso era bulling, e os apelidos que faziam alusão a alguma característica pessoal corriam soltos. Na sala tinha o Bafo, o Chulé, o Espinho no Pé (ele mancava), e a Ana Ninho de Guacho (cabelo) dentre outros. Chico 6 dedos poderia ser considerado um dos apelidos mais suaves.

Só que a mãe dele não pensava assim. Ela tentou com as professoras, com a diretora e numa reunião com os pais, por fim a essa alcunha que ela acreditava envergonhar o Francisco. Como nada dava jeito na coisa, nas férias de julho, a mãe do Chico 6 Dedos tomou uma medida mais radical. Levou o garoto ao hospital e fez com que extirpassem os seus dedinhos intrusos. Na volta às aulas, no pátio, demos de cara com o Chico, com as mãos enfaixadas.

E a turma logo o envolveu perguntando e pedindo que mostrasse o que havia acontecido com suas mãos. Todo orgulhoso, ele retirou as faixas e nos mostrou pequenas cicatrizes com pontos onde antes ficavam os célebres excedentes.

Foi ver aquilo e me lembrei de uma novela que tava passando na época, olhei pra cara do Chico e mandei de pronto:
– Éramos Seis!!

A turma quase desmaiou!!
No outro dia, tava a mãe do Éramos Seis procurando a professora pra conversar!!


Por Eder Hilarino – Divinópolis/MG (Via facebook em 29/04/2020)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.