História dos Medicamentos

História dos Medicamentos

Na GRÉCIA ANTIGA, ensinava-se que o filho do deus APOLO com a mortal de rara beleza CORONIS (que por sua vez era filha de Flégias , reis dos Lápitas,da Tessália), Asclépios (para os Gregos ) e ESCULÁPIO (para os Romanos), era o deus da Medicina cujo culto se estendeu por todo o mundo Grego, porém por sua mãe ter sido uma mortal, às vezes aparece como herói-médico, tendo sido educado por um Centauro-QUIRON- que o ensinou a caça e a medicina . Tornando-se muito hábil na arte da cirurgia. É sempre apresentado como jovem, gentil e calmo, carregando um rústico bastão , no qual se enrola uma serpente.

Na antiga Grécia, toda vez que havia uma peste ou uma epidemia, os médicos saiam para matar as cobras, pois acreditavam que estas (seres demoníacos), eram as causadoras das doenças. Estando com a cobra enrolada em seu bastão, Asclépio tem o domínio da causa da doença, curando portanto seus pacientes.
A filha desse, HÍGIA, era a deusa da Saúde. Com o tempo , a serpente no bastão de Asclépios, se tornou o símbolo da Medicina , já a taça e a serpente de Hígia passaram a ser o símbolo da Farmácia.

Após a fase de Mitologia da Humanidade surge na Grécia, a FILOSOFIA (o LOGOS) pôr volta do século VI a.C.

O Médico HIPÓCRATES que viveu no séc. IV a.C. em Cós, Ilha do litoral Grego, é considerado o fundador da medicina racional, pois fez referências em seus escritos a formas e operações farmacêuticas . Com isto ele definiu claramente o profissional de saúde dos sacerdotes e outros que a sua maneira tentavam curar os enfermos.

DIOSCÓRIDES, séc. I E.C., acompanhava os exércitos Romanos em suas conquistas, colhendo informações sobre plantas que poderiam ser utilizadas na medicina . Tornou-se autoridade mundialmente conhecida durante muitos anos.

A grande contribuição da medicina e farmácia Árabe foi preservar para o Ocidente todo o conhecimento acumulado pelos Gregos enriquecendo-as com seus próprios avanços em Química, Farmácia, Botânica e Administração Hospitalar. Os Árabes desenvolveram e aperfeiçoaram métodos como os de evaporação, filtragem, sublimação, destilação cristalização , métodos para a preparação de mercúrio , sulfureto e óxido arsenioso, vitríolo, alume, acetado de chumbo, ácidos sulfúricos e nítricos brutos (combinados como água régia). Foram entre outros medicamentos introduzidos pêlos árabes: o âmbar, o almíscar, cravo-da-índia, pimentas, o gengibre chinês, a noz-de-areca, o sândalo, o ruibarbo, a noz-moscada, a cânfora ,a Sena, o cassis e a noz-vômica.

  • Manual de Boas Práticas em Farmácias e Drogarias
    Manual de Boas Práticas em Farmácias e Drogarias